29/09/2014

Cid Moreira completa 87 anos e 70 de carreira: 'Eu não acreditava em mim' O locutor e ex-apresentador do Jornal Nacional segue cheio de planos e projetos: ‘Viver em paz é o suficiente para mim’.

Cid Moreira comemora nesta segunda-feira, 29, 87 anos de vida. Pleno de saúde e vitalidade, o locutor, dono de uma das vozes mais famosas do país, não se desmotiva. Afastado da bancada do Jornal Nacional, onde ficou durante 27 anos, o locutor segue uma agenda cheia. Seus compromissos vão desde palestras pelo país até presenças vip sob um trio elétrico para mais de 40 mil pessoa em Salvador. Tanta energia ele atribui a uma rotina saudável de vida. “Acordo por volta das 8h e só como frutas pela manhã. Faço pilates, alongamento, jogo tênis por uma hora”, conta Cid, que é vegetariano. Sem perder o hábito, faz parte de seu dia a dia assistir ao Jornal Nacional. “Depois ouço música, gosto muito! Se tiver algum filme bom no canal pago eu assisto.” Sob a esteira ergométrica de sua casa em Itaipava, na Região Serrana do Rio, Cid gravou um vídeo exclusivo para o EGO aos 47 minutos de caminhada. Casado há 15 anos com a jornalista Fátima Sampaio, Cid, que entrou para a edição brasileira do “Guinness BOOK” como o profissional que ficou mais tempo à frente do mesmo telejornal, abre o baú da memória e relembra os momentos mais marcantes da carreira de apresentador do JN. Foi ele quem anunciou a nova Constituição Brasileira e um dos momentos mais dramáticos do esporte, a morte do piloto Ayrton Senna. LEIA MAIS ; http://ego.globo.com/famosos/noticia/2014/09/cid-moreira-completa-87-anos-e-70-de-carreira-eu-nao-acreditava-em-mim.html

OAB-CE pede identificação de autores de frases ofensivas contra Miss Brasil Melissa Gurgel foi alvo de racismo ao receber título de miss por ser do CE. Comentários são racistas com o povo cearense, diz presidente da OAB-CE.

O presidente em exercício da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), Ricardo Bacelar, assinou nesta segunda-feira (29) representação e notícia-crime no Ministério Público Federal para responsabilizar os autores de mensagens racistas nas redes sociais contra Melissa Gurgel, a cearense eleita Miss Brasil no sábado (27). “São colocados comentários preconceituosos e depreciativos ao povo cearense. Os comentários dizem que o sotaque cearense é sofrível, que o povo cearense é feio. É racismo em razão da localidade do Ceará, e nós não vamos aceitar isso. O sotaque cearense nos orgulha e faz parte da nossa cultura e da nossa identidade”, diz o presidente da OAB-CE, Ricardo Bacelar. Após a vitória da cearense no concurso de miss, ela foi alvo de comentários preconceituosos. "Miss Ceará bonita até abrir a boca e vir aquele sotaquezinho sofrível", diz uma das mensagens. "Lembrem de deixar a TV no mudo quando a miss Ceará for dar a palestra dela no miss Brasil do ano que vem", diz outra. O presidente em exercício afirma que coletou a imagem de algumas mensagens racistas contra Melissa Gurgel e apresentou ao Ministério Público Federal no Ceará. “Formalizamos a representação no MPF para apurar com rigor esse desrespeito ao povo cearense”. Se condenados, os autores de mensagens racistas podem presos por período de dois a cinco anos. LEIA MAIS : http://g1.globo.com/ceara/noticia/2014/09/oab-ce-pede-identificacao-de-autores-de-frases-racistas-contra-miss-brasil.html

Casal dá gorjeta de R$ 245 a garçom mesmo após ser mal atendido: “Já estivemos no seu lugar” Makenzie diz que ela e o namorado contaram 12 mesas que estavam sendo atendidas pelo mesmo profissional. "Steven e eu concordamos que seria bacana fazer a noite desse cara melhor quando ele provavelmente receberia o mínimo de gorjetas pela demora do atendimento”, conta

Um casal de Iowa, nos EUA, deu uma generosa gorjeta de US$ 100 (R$ 245) a um garçom mesmo depois de dizer que o serviço tinha sido “péssimo”. No Facebook, Makenzie e Steven Schultz justificaram porque resolveram recompensar o profissional mesmo diante do atendimento ruim. “O atendimento [no restaurante que fomos] ontem foi horrível. Vinte minutos para servir uma água, 40 minutos para um couvert e mais uma hora para a entrada. As pessoas ao redor estavam fazendo piada sobre o quanto o serviço era ruim. Sim, era terrível. Mas era óbvio que o problema era a falta de pessoas para atender, não do garçom”, escreveu Makenzie na sua página pessoal. Segundo a americana, ela e o namorado chegaram a contar 12 mesas que estavam sendo atendidas pelo mesmo funcionário, que “corria de um lado para o outro feito louco e não demonstrou irritação com nenhum cliente”. “Isso costumava acontecer conosco quando servíamos mesas. Não me esqueço e nunca gostei desse trabalho. Fazia pelas gorjetas. Steven e eu concordamos que seria bacana fazer a noite desse cara melhor quando ele provavelmente receberia o mínimo de gorjetas pela demora do atendimento”, relatou. Junto com o post, Makenzie publicou a foto da conta, com o acréscimo de US$ 100 de gorjeta e um recado para o garçom: “Nós dois já estivemos no seu lugar.” Na mensagem, a americana explica que os dois deixaram o local ANTES de o garçom receber o pagamento e que só resolveu publicar a história como um conselho amigável para as pessoas: “Pensem na situação como um todo, ANTES de julgar. E sempre, sempre, sempre lembrem de onde vieram.” FONTE : por Redação Marie Claire

'Trocava almoço e café por uísque', diz Hudson ao deixar reabilitação Cantor sertanejo que faz dupla com o irmão, Edson, passou sete meses internado em uma clínica em São Paulo. Músico foi internado a pedido do pai.

Quantas histórias você já ouviu sobre pessoas que conheceram a fama muito rapidamente e foram por ela iludidas? O nome nos jornais, muito dinheiro, carrão importado, APARTAMENTO DE LUXO, festas, sexo, drogas e a queda. Do auge do estrelato ao fundo do poço. E o sucesso dá lugar ao sofrimento solitário e destrutivo. Mas a história que vamos contar a partir de agora, é um bom exemplo de que é possível recomeçar a vida. Um recomeço difícil que tem que ser assegurado dia após dia. Assista ao vídeo completo da dupla cantando Coração Sangrado Eu via o diabo todo dia dentro de uma garrafa. Todo dia, eu trocava um almoço, meu café da manhã, por uma talagada de uísque. Aí, entrei nessa de cocaína. Acho que eu fui o primeiro artista no mundo sertanejo que botou a cara a tapa”, conta o cantor Hudson. Foram sete meses internado em uma clínica de reabilitação na Região Metropolitana de São Paulo. “Eu fiquei entre a morte e a vida”, ele conta. Na segunda-feira (22), o cantor sertanejo Hudson teve alta e ganhou uma nova chance. “Entre morrer e viver, eu preferi viver. E aqui foi onde eu aprendi a viver novamente. Acho que é o dia mais feliz da minha vida. Eu estou voltando para a sociedade, só que limpo, né?”, diz ele ao sair da clínica. A família de Hudson também estava lá. A noiva, o pai e a mãe. Edson, o irmão e parceiro de palco, fez questão de acompanhar o momento. “Dá um gelo na barriga. Não vejo a rua faz sete meses”, conta Hudson. A internação na clínica foi ideia do Seu Jerônimo, pai do Hudson. Ele percebeu que o filho estava sem controle. “Eu falei: ‘meu filho, o que que está acontecendo com você? Você esqueceu que a sua família é tão grande, você tem milhões de famílias que te amam e te adoram no Brasil’. Me emociono de falar. Aí, ele falou para mim: ‘Pai, eu não estou bom’”, lembra o pai de Hudson, Jerônimo Silva. O músico não queria passar tanto tempo na clínica, mas o pai forçou o filho a ficar. Fantástico: Você chegou a ficar chateado com isso? Hudson: Logo que eu fui internado, eu fiquei muito chateado. Mas, hoje, eu vejo, assim, que foi um ato de amor. Jerônimo: Eu fiz a coisa mais certa da minha vida, salvar um filho. Ele e a noiva seguiram para Limeira, interior de São Paulo. Eles moram juntos lá. Fantástico: Da sua casa, especialmente, do que que mais você sentiu falta? Hudson: Acho que dos lagos, de pescar. Não sei nem o que falar. É muito grande aqui, tem 50 mil metros. Eu não dava valor em nada disso, eu não enxergava como eu enxergo hoje. Fantástico: Você acha que se você não tivesse buscado o tratamento, como é que você estaria hoje? Hudson: Morto, com certeza. Porque foi através do tratamento, que eu descobri a lesão que eu tinha no fígado. Tive duas lesões no cérebro, uma do lado direito, uma do lado esquerdo. Consequência do uso de drogas e álcool desde muito cedo. “A cocaína entrou na minha vida, feio mesmo assim, quando eu comecei a trabalhar demais”, ele lembra. Hudson começou a cantar com o irmão Edson ainda criança. Já são 35 anos de carreira. Juntos, formaram uma dupla de sucesso. Chegaram a se separar por dois anos, entre 2009 e 2011. Edson seguiu carreira solo. Depois, voltaram a cantar juntos. No começo desse ano, a carreira foi interrompida mais uma vez. O vício de Hudson começou a ficar incontrolável por causa de uma tragédia pessoal. “Por causa do suicídio da Larissa. Aí eu vi que eu tinha caído em um buraco mesmo, sozinho eu não conseguia”, ele conta. Larissa foi uma das esposas do cantor. Ela se matou em 2012. “Quando houve essa tragédia na minha vida, aí eu comecei a usar todo dia. Uísque, eu não tomava nem na xícara mais. Tomava no bico mesmo. Eu dormia com a garrafa do lado da cama, entendeu? Acordava e já bebia de novo. Descontrole total, descontrole total”, ele diz. Em 2013, Hudson foi preso duas vezes no mesmo dia por porte ilegal de armas. Ele diz que é colecionador. “Eu sentia a culpa de ter, de repente, estragado a carreira por causa daquilo, entendeu?”, lembra Hudson. Ele ficou muito perto da morte: “Tive 12 overdoses. Na maioria das vezes, tinha gente perto, os amigos, tal. A última overdose que eu tive, quem me levou para o hospital foi a Thayra”, revela. Thayra, a noiva 24 anos mais nova, fez o cantor mudar. “Eu conheci a Thayra e quis mudar de vida. ‘Você tem que ter um homem do seu lado, não quero que você tenha um drogado’”, ele diz. “Estou feliz, orgulhosa dele. Um vencedor, né?!”, diz Thayra Machado, noiva de Hudson. “Eu me sinto 100% recuperado. Sinceramente eu tenho medo de uma recaída. Não adianta eu ser hipócrita de falar que eu não tenho medo, porque eu tenho medo sim. Mas esse medo é bom, é esse medo é que vai me manter afastado”, ele destaca. Ele não ficou com sequelas. Com a desintoxicação, os problemas no fígado e as lesões no cérebro desapareceram. “Ele está bem, está em um momento bom. Nós não acreditamos na cura, a gente acredita que é uma doença progressiva, incurável e fatal, e que ele precisa continuar fazer a manutenção para o resto da vida”, avalia o psicoterapeuta Alexandre Cardoso Castanheira. Desde março, o Hudson não pisava em um estúdio. Ele foi até um em São Paulo com o irmão Edson e com a banda. “Estava com muita saudade”, conta Hudson. O sertanejo com jeitão de roqueiro não demorou para se sentir à vontade. A dupla já vai lançar um disco novo. O Hudson gravou as músicas do CD em um estúdio improvisado dentro da clínica de recuperação. Em novembro, Edson e Hudson botam o pé na estrada. “Eu sempre senti aquele friozinho na barriga, mas, dessa vez, o friozinho está um ‘Polo Norte’ na barriga”, ele brinca Friozinho de quem quer subir agora no palco de um outro jeito. “É muito mais maluco você estar sem usar nada. Quando você está sóbrio, você enxerga a vida como ela é”, diz Hudson. ASSISTA O VIDÊO NO LINK ABAIXO : http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/09/trocava-almoco-e-cafe-por-uisque-diz-hudson-ao-deixar-reabilitacao.html

Advogado preso por golpe milionário no RS é proprietário de 950 imóveis Apartamento em Nova York, haras e jato particular faziam parte dos bens. Maurício Dal Agnol pode ter lucrado R$ 100 milhões lesando clientes.

Preso na segunda-feira (22) em Passo Fundo, o advogado Maurício Dal Agnol levava uma vida de luxo com os milhões que lucrou ilegalmente ao aplicar um golpe milionário em cerca de 30 mil clientes que venciam ações judiciais no Rio Grande do Sul. Segundo as investigações da Polícia Federal, ele é proprietário de 950 imóveis. Um deles, em Nova York, custou cerca de R$ 14 milhões, como mostra a reportagem do Fantástico (veja o vídeo). Entre tantos bens adquiridos com o dinheiro das vítimas do golpe, Dal Agnol também comprou um jato particular de luxo para oito pessoas ao custo de mais R$ 20 milhões e um haras em Passo Fundo, na Região Norte do estado, propriedade que tem suas iniciais na entrada: MD. Em janeiro do ano passado, em uma conversa interceptada pela Polícia Federal, o advogado disse por telefone para sua mulher, Márcia, que queria comprar um apartamento nos Estados Unidos. “Estou olhando um apartamento em Nova York. Quatro quartos, três banheiros…”, disse. “Uh, lá, lá”, resumiu a esposa. Ela quis saber, então, de onde sairia o dinheiro e perguntou se era da conta da filha do casal. “Vai tirar da poupança dela?”, indagou. “Dois milhões de dólares”, respondeu o marido. “Sério? Uh, lá lá”, repetiu Márcia. LEIA MAIS : http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2014/09/advogado-preso-por-golpe-milionario-no-rs-e-proprietario-de-950-imoveis.html

Marcelo Tas fala do filho transexual: sexualidade é um assunto que desafia Luc é advogado e mora nos Estados Unidos: "Sou muito sortudo"

Em entrevista à revista Crescer do mês de outubro, Marcelo Tas abriu o jogo e falou sobre a relação com o seu filho transexual. O apresentador contou como foi ver Luiza se transformar em Luc, hoje com 25 anos. Na entrevista, o líder do "CQC" destacou que as preferências do filho, hoje feliz e casado com outro transexual, nunca estiveram acima da relação dos dois: "Uma novidade desse tamanho sempre é surpreendente. ANTES de tudo, devemos admitir que independente da orientação — hetero, homo, trans, bi... — a sexualidade é um assunto que desafia e intriga os seres humanos desde que o mundo é mundo. Por outro lado, creio que eu faça parte talvez de uma primeira safra de pais que souberam acolher e tratar com mais naturalidade a questão de forma transparente". Luc também participou da entrevista e revelou que assumiu sua bissexualidade aos 15 anos. Com 22, virou transexual. Atualmente mora nos Estados Unidos e trabalha como advogado: "Sou muito sortudo. A realidade é que minha família sempre me apoiou em tudo. Eu contei que era bi quando ainda era muito novo, e eles nem piscaram. Quanto a eu ser trans, acredito que foi um pouco mais difícil, tanto para mim quanto para eles. Hoje em dia, eles sempre usam os pronomes certos para se referir a mim (ele/dele, etc.) e meu nome (Luc)". Marcelo Tas esclareceu que o filho sempre foi muito decidido e que a relação deles é de admiração e respeito: "Lembro que no casamento do meu irmão, Luc tinha uns 2 ou 3 anos e devia ser a “dama” de honra. Deu um escândalo tão grande porque não queria botar o vestido. Foi de fraldas até a cerimônia e só resolveu vestir a roupa já no altar. Acabou curtindo a experiência. Não estou dizendo que ali já pressentia uma questão de gênero, mas sim que via nele um ser bastante decidido sobre o que queria ou não fazer". O apresentador encerrou a entrevista afirmando que os pais nunca devem perder o foco do relacionamento familiar: "As questões de sexualidade e gênero são importantes. Mas não são mais importantes do que o amor incondicional que devemos manter na nossa família. Este sim é o assunto mais importante da nossa vida". FONTE : PORTAL NA TELINHA/UOL Por Diego Falcão

Furtos ameaçam patrimônio do cemitério da Consolação

Primeiro espaço público para sepultamentos de São Paulo, inaugurado em 1858, e único tombado pelo patrimônio, o Cemitério da Consolação é alvo de uma onda de furtos que tem feito desaparecer parte de seus 156 anos de história. Algumas dezenas de obras de arte --esculturas em bronze, estátuas, vitrais do século 19-- que transformaram o local em ponto turístico oficial da cidade de São Paulo sumiram nos últimos meses. Entre os 22 cemitérios administrados pela Prefeitura, o da Consolação é o campeão no registro de furtos. Parte desse tesouro que desapareceu estava exposta em túmulos de dois ex-presidentes da República, dos escritores Monteiro Lobato e Mário de Andrade e da pintora Tarsila do Amaral. Até portas de bronze e colunas de mármore Carrara de capelas com mais de cem anos, construídas por famílias que tiveram papel de protagonismo no início da industrialização paulista, estão sendo levadas pelos ladrões. Desde janeiro de 2013, quando a administração do cemitério passou a fazer boletins de ocorrência para todos os casos de furto, já foram contabilizadas mais de 500 peças levadas --incluindo 216 portões de bronze de jazigos e capelas. Em um único dia --23 de março deste ano-- foram levados 45 portões de bronze. O Serviço Funerário do Município de São Paulo planeja colocar nova iluminação, guardas-civis metropolitanos e até cães de guarda treinados dentro do Cemitério da Consolação. O plano para tentar frear a onda de furtos é coordenado pela advogada Lúcia Salles França Pinto, de 52 anos, nova diretora do Serviço Funerário. A própria família da advogada mantém um túmulo no cemitério desde 1862. "Os furtos não começaram agora. É que passamos a fazer o registro de tudo o que é furtado. Não estamos escondendo mais o problema para debaixo do tapete", disse a diretora. A gestão Fernando Haddad (PT) também vai colocar durante o período da madrugada cães treinados, da raça pastor alemão, para fazer "rondas" dentro dos cemitérios com maior registro de furtos, como o da Consolação e o Araçá, em Pinheiros, na zona oeste. FONTE : PORATL UOL/ESTADÃO

28/09/2014

Tiririca chega ao fim do mandato com 100% de presença, mas sem subir à tribuna Presente em todas as sessões da Câmara nesta legislatura, o deputado mais votado do país falou no plenário, em discurso ou mesmo em aparte, nenhuma vez

í
der na pesquisa de intenção de votos para deputado federal em São Paulo, segundo o Ibope, o palhaço Tiririca (PR-SP) caminha para o final de seu primeiro mandato sem ter faltado a nenhuma das 372 sessões deliberativas (isto é, destinadas a votação) da Câmara desde fevereiro de 2011. É um feito alcançado por poucos deputados. Por outro lado, não fez um único pronunciamento em plenário, algo também raro na vida de um parlamentar – palavra que tem origem no latim parlare, que significa falar, conversar. Ele foi eleito quatro anos atrás com 1,3 milhão de votos, a maior votação da atual legislatura e a segunda da história brasileira, só superada pela do falecido deputado Enéas em 2002 (1,5 milhão). Tiririca cumpriu a única promessa que fez: com ele – ou melhor, por causa dele – o Congresso não ficou pior. Apesar de estar sempre presente, o deputado pouco apareceu. Não se envolveu diretamente nas votações, mas também não se meteu em polêmicas nem virou alvo de denúncias. Deputado do circo O primeiro palhaço profissional a conquistar um lugar no Parlamento brasileiro conclui seu primeiro mandato como representante do circo no Congresso. Dos oito projetos de lei apresentados por Tiririca, seis pretendem assegurar direitos à comunidade circense, na qual ele começou sua carreira artística ainda criança. Uma das propostas do deputado prevê o reconhecimento do circo como manifestação cultural para que os artistas circenses possam ser beneficiados com os incentivos fiscais da Lei Rouanet. Ele também propôs a inclusão do trailer e do motor home utilizados por artistas de circo como moradia no programa “Minha Casa, Minha Vida”. Em outros dois projetos, Tiririca sugeriu a isenção do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) para veículos usados em atividade circense e mudança na legislação para garantir aos filhos de artistas de circo, na faixa etária de 4 a 17 anos, cuja atividade seja itinerante, vaga nas escolas pública ou particulares. LEIA MAIS : http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/tiririca-encerra-mandato-com-100-de-presenca-mas-sem-subir-a-tribuna/

SÃO MIGUEL PAULISTA COMPLETA 392 ANOS

São Miguel Paulista é um distrito da região leste de São Paulo. Teve como núcleo inicial a chamada Capela dos Índios, uma igreja construída no século XVI para o aldeamento de indígenas da região, a capela está localizada na Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, também conhecida como Praça do Forró. Ela é a única construção na cidade de São Paulo que, depois da reforma que sofreu no século XVII, conserva-se totalmente original, com paredes em taipa de pilão. Foi durante muitos anos chamado distrito da Penha de França, ganhando autonomia administrativa no fim do período imperial. Fez parte da constituição do bairro, a existência da estrada que ligava o Rio de Janeiro a São Paulo e que passava por dentro da antiga Aldeia de São Miguel. Hoje a estrada transformou-se nas Avenidas Marechal Tito e São Miguel. Servido pela linha 12 da CPTM que foi inaugurada na década de 1930 e pelo Terminal São Miguel, o distrito permaneceu estagnado durante mais de um século. Hoje, tornou-se um importante centro comercial e populacional regional. É uma das regiões mais populosas da cidade. Teve como um dos principais fatores de desenvolvimento, as atividades da Companhia Nitro Química Brasileira, do Grupo Votorantim, desde 1937, que gerou uma grande migração para São Miguel, principalmente de nordestinos. A indústria foi uma resposta do empresário José Ermírio de Moraes à liderança das Indústrias Matarazzo na produção do raion, a seda sintética. Hoje a indústria trabalha com outros produtos, ainda na área química. São Miguel conta com uma rede de serviços públicos e privados considerável, com escolas, hospitais, comércio e indústrias variadas. História O Aldeamento de São Miguel foi um dos diversos aldeamentos jesuítas estabelecidos na região de São Paulo de Piratininga. Junto com a vila de Pinheiros, o aldeamento foi um dos únicos núcleos populacionais independentes que conseguiram prosperar. A data de fundação de São Miguel é incerta e controversa. A teoria que aponta a data mais antiga informa o ano de 1560, quando da visita de José de Anchieta aos índios guaianases, que haviam se refugiado da Vila de São Paulo Piratininga quando esta sofreu a chegada de índios vindos da extinta Vila de Santo André da Borda do Campo, fazendo com que seus moradores fossem para a nova Vila, assustando parte dos índios que se dispersaram à leste da Vila. A dispersão destes índios ocorreu em direções diversas, mas São Miguel mereceu atençaõ maior por estar num local estratégico, ponto de defesa da Vila de São Paulo contra a invasão de Tamoios vindos do litoral norte São Miguel, então chamada aldeia de Ururaí, foi doada aos índios através de carta de sesmaria datada de 12 de outubro de 1580. Nesta aldeia, foi construída uma Capela pelos jesuítas e índios, chamada de Capela de São Miguel Arcanjo. No século XVII São Miguel perde importância estratégica com a saída maciça de índios, levados pelos portugueses nas entradas promovidas pelo sertão. A Provisão Régia de 21 de junho de 1779 elevou a aldeia a Distrito de São Miguel, como é conhecido até hoje. A carta de sesmaria passou a ser desrespeitada, abrindo espaços para a lavoura e o crescimento local. Em 26 de abril de 1865, foram criadas duas classes do ensino das primeiras letras (curso primário). Uma para os meninos e outra para as meninas. Em 16 de junho de 1891, criou-se o primeiro ofício do registro civil (cartório de paz). Até o século XIX quando se fala em São Miguel, compreende-se o espaço geográfico que inclui os locais que hoje correspondem aos bairros de Itaim Paulista, Ermelino Matarazzo, Itaquera, Guaianases e nos primórdios, até mesmo parte da cidade de Mogi das Cruzes. Em 1903, a região já contava com 108 casas e 2 299 habitantes. A principal atividade era a indústria da cerâmica. A partir de 1913, o bairro passou a evoluir também comercialmente. O primeiro comerciante do bairro foi Manuel Ferreira Guimarães. Em 1920, o corretor sr. Geni coloca em seu loteamento (atual Parque Paulistano), um ônibus com três viagens diárias, facilitando o acesso para os compradores de seus terrenos. Neste mesmo ano, começaram a se dirigir para São Paulo grande número de nordestinos, principalmente baianos e pernambucanos, que se instalaram especialmente em São Miguel Paulista. Em 1950, foram fundados a Maçonaria, o Rotary e o Lions Club. Seus fundadores e principais associados são ainda hoje comerciantes estabelecidos na região. O primeiro ginásio noturno estadual, inaugurou-se em 1953 no Carlos Gomes, já instalado como Grupo Escolar desde 1938. A primeira estrada do bairro, São Paulo-Jacareí, foi construída precariamente em 1924, devido a uma falta de recursos. Em 1930, inaugurou-se a linha de ônibus Penha-São Miguel, da Empresa Auto Ônibus Penha São Miguel. Em 1932, quatro anos após a inauguração da estrada de ferro Central do Brasil, foi inaugurada a linha variante e no mesmo ano a estação de São Miguel. A fase industrial iniciou-se em 1935, quando o Sr. Antônio Fuga e seus filhos deram início à construção da Companhia Nitro Química Brasileira. A primeira estrada de concreto do Brasil surgia em São Miguel, no ano de 1939, assim como a energia elétrica e a inauguração da Companhia NitroQuímica Brasileira. Em 1941, é instalada em Ermelino Matarazzo, a Celosul, fábrica de papel de propriedade do Grupo Matarazzo. Nessa época, Ermelino Matarazzo fazia parte de São Miguel. A Companhia NitroQuímica cresceu rapidamente e em 1948 já empregava quatro mil operários. São Miguel começava a expandir em direção à cidade. Atualmente, a área territorial do distrito representa a porção remanescente da sesmaria concedida em 1580 aos índios cristãos de Ururaí. Itaquera e Lajeado (atual Guaianases), desmembraram-se de São Miguel, constituindo distritos autônomos, criados respectivamente em 1920 e 1929. Em 1959, desmembrou-se Ermelino Matarazzo, reservando-se a São Miguel a área mais ligada à capela. A denominação do distrito sofreu sucessivas alterações. A mais antiga referência nominal à região é Ururaí. Com a formação da aldeia cristã, surgiu São Miguel de Ururaí. Em 1944, esta denominação foi substituída por Baquirivu, mas em 1948, após protesto dos moradores, reapareceu com o nome de São Miguel Paulista. A partir de então houve uma rápida ascensão do bairro, gerando diversos problemas, uma vez que os novos moradores, mão-de-obra desqualificada, distribuíram-se pelos mais distantes locais onde houvesse possibilidade de aproveitamento, criando dificuldades para o transporte urbano até o centro da cidade. Com o grande fluxo de novos moradores de baixa renda, construindo suas moradias em lotes apertados e sem infra-estrutura, passaram a viver de forma precária. Por volta de 1950, quase tudo estava para reformar ou refazer no bairro. Foi quando os problemas locais sensibilizaram a administração pública. O Governo do Estado ativou o setor educacional, multiplicando as escolas primárias e estabelecimentos de ensino secundário como por exemplo o Conjunto Educacional D. Pedro I do arquiteto Roberto Tibau3 . A descentralização administrativa muito ajudou na solução dos problemas sociais e urbanísticos de São Miguel Paulista, passando a levar à região os melhoramentos tão esperados, que vão desde a reforma de nomenclatura de vias públicas até a integração do bairro no grande sistema viário da capital, entre vários outros benefícios à população. Em 1956, a antiga Companhia Telefônica Brasileira (CTB) iniciou a operação de 200 telefones manuais. Estes foram substituídos em 1970 por 600 terminais automáticos, além de vinte telefones públicos, ligados à nova central telefônica que operava com o milhar '0' do prefixo 297. Alguns 'cortes de área' ocorreram a partir de 1980, com a criação de novos centros telefônicos no Itaim Paulista e no Jardim Helena. Atualmente, a central telefônica de São Miguel opera aproximadamente cem mil terminais. O instituto Datafolha uisa em agosto de 2008 para traçar o perfil dos habitantes de São Miguel. De acordo com a pesquisa, 50% dos habitantes são homens, e os outros 50% são mulheres.4 85% dos habitantes se declaram brancos, 15% são pardos e negros.4 Em relação ao nível de escolaridade, 40% possuem Ensino Fundamental completo, contra 46% que possuem Ensino Médio e 14% que possuem Ensino Superior.4 A grande maioria da população (57%) é pertencente à classe C, seguida pela classes B (32%), D (9%), A (1%) e E (1%).4 52% são católicos, 22% são evangélicos e 12% não possuem religião.4 O PT e o PSDB são os partidos políticos preferido pelo total de 25% dos moradores. No campo religioso, São Miguel Paulista possui uma diocese, dirigida por Dom Manuel Parrado Carral, diversas igrejas evangélicas e centros espíritas. Uma importante referência religiosa de São Miguel Paulista foi o Padre Aleixo Monteiro Mafra, nascido na cidade paulista de Guaratinguetá no dia 11 de Fevereiro de 1901. Padre Aleixo chegou no bairro para tomar posse de sua paróquia (velha capela), no dia 2 de março de 1941. A praça que hoje leva seu nome em uma justa homenagem, chamava-se Praça Campos Sales. A Igreja Matriz de São Miguel era ainda a velha capela construída em 1622 e mal comportava duzentas pessoas. Padre Aleixo era obrigado a rezar várias missas dominicais para que todos os fiéis pudessem assistir. Quando Padre Aleixo assumiu a paróquia, o bairro possuía cerca de oito mil habitantes; dez anos depois, já eram quase quarenta mil, razão pela qual, a Arquidiocese de São Paulo achou necessária a construção de uma nova Igreja Matriz, em conjunto com Padre Aleixo. No dia 13 de Janeiro de 1952, finalmente foi assentada a pedra fundamental da nova Igreja Matriz, com a presença de personalidades civis e eclesiásticas. No dia 29 de março de 1964, Padre Aleixo foi afastado da Paróquia de São Miguel Paulista pela Cúria Diocesana, após 23 anos de serviços prestados. Seu afastamento não foi devidamente esclarecido, tendo causas contraditórias. Em 22 de Agosto de 1965 é inaugurada a nova Igreja Matriz. Dessa forma a velha capela, que estava ligada ao antigo tempo colonial, cede lugar à nova Matriz, tornando-se apenas um patrimônio histórico e artístico na Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra. Com a perda da paróquia onde havia trabalhado com afinco durante tantos anos, Padre Aleixo sofreu um abalo de saúde e de saudade e no dia de seu 66º aniversário, 11 de fevereiro de 1967, vem a falecer. Em sua homenagem o bairro tem uma de suas principais praças com seu nome, que por causa da grande migração nordestina acabou tendo o apelido de "Praça do Forró", pelo qual é mais conhecida. Atualmente, São Miguel é o maior pólo educacional do Extremo Leste da capital.As escolas privadas e públicas da região se destacam no Exame Nacional do Ensino Médio. Além disso, o bairro conta com várias escolas particulares tradicionais na região O bairro conta com mais de 200 lojas de departamento, sendo assim, um dos maiores centros de compras de São Paulo. Dentre as suas principais ruas comerciais, destacam-se: Rua Serra Dourada, Rua Arlindo Colaço, Rua Miguel Ângelo Lapena ,Avenida Imperador, Avenida Pires do Rio e a Avenida Marechal Tito. ESTAÇÃO DE RADIO São Miguel Paulista conta também com sua primeira emissora de rádio comunitária oficial operando no dial 87,5 FM desde setembro de 2011 site oficial : www.rcintegracaofm.com Desfile Cívico Militar Data: 28 de Setembro Horário: 9h as 13h Local: Av. Marechal Tito altura nº 700 Endereço: Av. Marechal Tito altura nº 700 FONTE : Festejos de soa miguel paulista/facebook

Cearense Melissa Gurgel é eleita a Miss Brasil 2014 Miss Brasil vai representar o país no Miss Universo nos Estados Unidos. Candidatas se prepararam durante três meses para concurso no Ceará.

A cearense Melissa Gurgel, 20 anos, foi eleita neste domingo (28) a Miss Brasil 2014. Ela disputou com outras 26 garotas a coroa de mulher mais bonita do país, em concurso realizado no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza. Ela recebeu a faixa de Miss Brasil e um carro no valor de R$ 40 mil, como premiação do 60º concurso Miss Brasil. Para Melissa, a torcida que lotou o Centro de Eventos foi importante na sua vitória. "Estou muito feliz com o resultado. A torcida cearense foi fantástica e me deu muita garra. Cada passo que eu dei foi graças a Deus", disse ao G1, ao receber a faixa de miss. Questionada sobre o que é necessário para ser a Miss Brasil, a cearense destacou a determinação. “O que me levou à vitória foi algo que eu aprendi desde o início da vida: que a gente só perde pra nós mesmos. A partir do momento que você decide uma coisa com determinação, o que você decide fazer você pode ir muito além do que imagina.” Em segundo lugar ficou Fernanda Leme, de São Paulo, e em terceiro, a potiguar Deise Benício, de 23 anos. As duas ganharam uma VIAGEM para o México. (Veja galeria de fotos do evento.) A nova miss brasileira recebeu a coroa e faixa de Jakelyne Oliveira, de Mato Grosso, vencedora do título em 2013. Ela vai disputar agora o Miss Universo, que será realizado neste ano, nos Estados Unidos. LEIA MAIS : http://g1.globo.com/ceara/noticia/2014/09/cearense-melissa-gurgel-e-eleita-miss-brasil-2014.html

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...